Repositórios institucionais: constrangimentos no processo de disponibilização de conteúdos científicos

Joaquim Luis Costa, Judite A. Gonçalves Freitas

Resumo


O objeto deste artigo é o de contribuir para a compreensão do novo cenário da comunicação científica em Portugal no século XXI e o papel dos repositórios institucionais no nesse processo, salientando os principais constrangimentos das práticas de depósito a partir do estudo recente que efetuamos sobre os repositórios institucionais das universidades públicas portuguesas. Principiamos pela problematização do conceito de «repositório» considerando as teses de autor e fechando com a formulação da nossa. A análise desenvolve-se em torno de um tópico essencial no estudo das atuais práticas dos repositórios institucionais em acesso aberto, a relação estabelecida entre os produtores de ciência e os «armazéns de conhecimento» e os constrangimentos colocados pela atual forma de organização do conhecimento nas plataformas. Apontam-se os constrangimentos ao autoarquivo, à disponibilização e ao acesso à informação científica em Portugal. Por fim, estima-se o grau de adaptação das ciências humanas e sociais ao uso dos repositórios institucionais.

Palavras-chave


Comunicação científica, Repositório institucional (organização), Acesso livre, Ciência da Informação

Texto Completo:

PDF

Apontadores

  • Não há apontadores.


Parceiro institucional:

EBSCO