Biblioteca da Univerdade da Madeira

Você está aqui Início  > Bibliotecas de Ensino Superior  > Ensino Universitário Público >  Biblioteca da Univerdade da Madeira
Item da imagem

A Biblioteca da UMa foi criada aquando a Universidade da Madeira, em 1988. Correspondia a um espaço físico lacónico, cujo acervo era constituído pelos acervos das escolas que integraram a universidade: a antiga Escola do Magistério Primário, a Escola Superior de Educação e o CIFOP (Centro Integrado de Formação de Professores). O acervo era orientado para os âmbitos científicos das Ciências da Educação, Politicas de ensino e aprendizagem, totalizando cerca de 15000 unidades documentais. O acervo documental encontrava-se verdadeiramente desactualizado, empobrecido fase as novas teorias que emergiam nos domínios científicos referidos, e não satisfaziam as necessidades informacionais dos novos cursos que iam sendo desenhados e consolidados da nova estrutura de ensino superior da RAM.

Os recursos humanos afetos a Biblioteca eram reduzidos, com horários descontínuos e desadaptados aos diplomas laborais em vigor e destituídos de qualificações adequadas.

Espaço físico impróprio, acervo desactualizado, profissionais desqualificados e tratamento técnico do acervo baseado em métodos manuais e primitivos deram origem a uma biblioteca doméstica, empírica, personalizada e estagnada cientificamente.

Em 1993, ano que a Biblioteca integra recursos humanos qualificados, trabalhamos com base numa nova visão: “Transformar tudo e todos”. Formar e reconverter recursos humanos, actualizar, disponibilizar em regime de livre acesso o acervo documental e tratando-o de acordo com normas internacionais que permitem a transferência da informação sem obstáculos, desenvolver a figura do EIB (Empréstimos Inter Bibliotecas nacional e internacional), informatizar o acervo no ambiente Porbase, cooperar com a Biblioteca Nacional com vista a alimentar o catálogo bibliográfico nacional (PORBASE) e integrar o catálogo da biblioteca no universo de cooperantes da PORBASE foram os objectivos que constituíram a estratégia que seguimos com sucesso. A Biblioteca passa a designar-se Centro de Documentação e Informação (CDI). A partir de 1997, quando o CDI beneficia de um espaço físico mais adequado (no novo edifício universitário da Penteada) ao desenvolvimento científico, técnico e cultural que contribuiu para o inevitável progresso da tríade ensino/aprendizagem/investigação, optamos por “Integrar e flexibilizar tudo e todos”. Atualizar metodologias documentais e informáticas, modernizar a sala de leitura e dotando-a de rede local e computadores que permitiram ao utilizador realizar as suas pesquisas, agilizar processos documentais, assegurar uma abordagem mais flexível com o utilizador interno e a abertura à sociedade civil foram metas que atingimos com êxito.

Estatutariamente a Biblioteca assume a designação de Sector de Documentação e Arquivo em 1998, em 2008 é designada Unidade de Biblioteca e Arquivo e em 2014 para Unidade de Biblioteca.

Entramos no século XXI com o lema “Informar para formar rumo a cognição, a criação do conhecimento” e que nos conduziu a criação de uma biblioteca, verdadeiramente, científica e digital. Os acervos – documental e digital – foram-se construindo em interação com os professores e investigadores da academia, interação que representa o ícone de uma nova cultura organizacional e informacional, onde todos participam e

assumem a responsabilidade da adequação dos acervos com os curricula leccionados na UMa, e com o ideal europeu, razão pela qual associa-se-lhes o Centro de Documentação Europeia.

Assim, no século XXI actuamos com uma missão reestruturada, orientada para as pessoas, concretamente, para os professores, os investigadores, os alunos e os funcionários da academia e o utilizador externo (investigadores, mestrandos e doutorandos), com o apoio das novas tecnologias e produtos digitais promovidos pela FCCN/FCT. Utilizadores que recorrem à Biblioteca com o objetivo de recuperarem informação científica, quer nas fontes impressas, quer nas fontes eletrónicas, através da tecnologia de acesso à INTERNET, fixa e móvel, para construirem novo conhecimento científico.

O Tratamento técnico documental, os softwares e a webização da Biblioteca

Até 2006 tratamos tecnicamente os recursos documentais no ambiente Porbase 5, adquirido em 1993 à Biblioteca Nacional. Em 2006, o SDA passou a beneficiar de uma plataforma informática integrada, interoperativa e escalável, adquirida com apoio de fundos comunitários. Dois softwares constituem a referida plataforma: o Aleph que executava a gestão integrada da documentação e interagia com os diversos interfaces existentes na academia. Deu origem ao catálogo informatizado e integrado, conhecido por BIBUMa. Seguiu-se o software Digitool responsável pela gestão de conteúdos académicos ou científicos, software que esteve na génese do repositório digital, designado de DigitUMa. A sustentabilidade financeira dos referidos softwares era incompatível com a situação financeira da UMa, pelo que em 2009, optou-se pelo software Dspace para o repositório institucional, uma vez que foi a escolha das Bibliotecas Universitárias Portuguesas, patrocinada pela FCCN/FCT e Universidade do Minho, e em 2014 optou-se pelo um software open source, designado Koha, para o catálogo da Biblioteca, designado BibUMa.

O repositório institucional, o DigtUMa, baseado na política e nos princípios do Acesso Aberto, foi criado em 2009 e teve a sua política homologada em 2017. Integra-se no Repositório Científico de Acesso Aberto de Portugal (RCAAP) e no repositório comunitário.

Se em 1993, a Biblioteca beneficiou da ligação à rede computacional, que permitiu a integração à Internet, em 2006 a rede Wireless expandiu-se na UMa, em particular na Biblioteca. A fácil portabilidade e usabilidade dos computadores portáteis pelos utilizadores na Sala de Leitura desenvolveram a interacção entre as fontes electrónicas e as fontes impressas e a visibilidade da produção científica da UMa à escala global. Aderiu-se ao Facebook, ao GT-BES, às listas de e-mails da b-on, do RCAAP e, em tempo real, assiste-se aos mais relevantes webinares: assimila-se as novidades técnicas e aproxima-se do mundo global.

Serviços Prestados547c84e895e15-logouma_slogan_format1_1

Serviço de referência: – gestão da sala de leitura;- gestão dos utilizadores; – atendimento; – gestão da leitura presencial;- gestão dos empréstimos; – gestão das renovações e das reservas;- programação das visitas de estudo, da formação de utilizadores, workshops sobre literacia no contexto universitário, exposições e demais de eventos;- DSI;- gestão das redes sociais. Serviço digital:- gestão das bases de dados, da b-on e do repositório institucional (DigitUMa);- gestão do EIB;- colaboração na determinação do fator de impacto e nas avaliações da A3ES. Serviços técnicos:- gestão das aquisições;- tratamentos administrativo, técnico e intelectual dos recursos de informação;- gestão e monitorização do software koha;- monitorização do OPAC. 

Política de Admissão de Utilizadores

Os utilizadores da Biblioteca da UMa são constituídos pelos elementos da academia, que identificamos por utilizadores internos: alunos, professores, investigadores e funcionários. Simultaneamente, a Biblioteca está aberta ao utilizador externo, distribuído essencialmente pelos investigadores, pelos mestrandos, doutorandos e estudiosos que procuram nesta biblioteca informação científica, o serviço de empréstimo inter bibliotecas, para desenvolveram, com rigor e credibilidade científicos, os seus trabalhos de investigação. 

Fundos Especiais

O acervo documental distribui-se pelas monografias, pelas publicações periódicas e MNL e totaliza em 2018 cerca de 150000 títulos, adquiridos por via da compra e raramente por via da oferta. A adesão às bases de dados Web of knowledge ocorreu em 2002, a b-on (Biblioteca do conhecimento online) em 2006, pacote all for all, com cerca de 17 500 revistas científicas internacionais, o repositório institucional (DigitUMa) em 2009, com cerca de 2000 documentos científicos, e integrado no RCAAP e Openaire, e os mais diversos links para bases de dados e catálogos disponíveis gratuitamente na Internet constituem o nosso acervo digital, estimado em milhares e milhares de documentos digitais. Os acervos, em suporte papel e suporte digital, fazem da Biblioteca da UMa a Biblioteca Científica da RAM.

Ligações


O nosso endereço

Endereço:
Biblioteca da Universidade da Madeira Campus Universitário da Penteada, piso 3 Apartado 16 9000-390 Funchal, Madeira
GPS:
32.6480275, -16.94176319999997
Telefone:
291705071
biblioteca@uma.pt; cdeuma@uma.pt
Web:
http://www.uma.pt

Horário de abertura

Segunda:
09:00-20:00
Terça:
09:00-20:00
Quarta:
09:00-20:00
Quinta:
09:00-20:00
Sexta:
09:00-20:00
Sábado:
09:00-14:00

Bibliotecário responsável: Iolanda Silva (email: iola@uma.pt.). Horário nas férias letivas: horário normal da função pública.

Deixar uma revisão

Avaliação global

Comentários fechados