ORADORES

DAVID LANKES

Robert David Lankes é Professor e Diretor da Biblioteca da Escola de Ciência e Informação, na Universidade da Carolina do Sul. Lankes sempre se interessou por combinar teoria e prática, no sentido de promover projetos de investigação que verdadeiramente fizessem a diferença. O seu trabalho tem sido financiado por organizações como MacArthur Foundation, The Institute for Library and Museum Services, NASA, The U.S. Department of Education, The U.S. Department of Defense, The National Science Foundation, The U.S. State Department, e The American Library Association (ALA).

Robert Lankes é um defensor apaixonado das bibliotecas e do seu papel na sociedade, o que lhe valeu, em 2016, o Prémio Ken Haycock for Promoting Librarianship da American Library Association.

Tem procurado constantemente entender como as abordagens das tecnologias da informação podem ser usadas para transformar as indústrias, nesse sentido tem servido em conselhos consultivos e equipas de estudo nos campos das bibliotecas, telecomunicações, educação e transporte, nomeadamente, em Academias Nacionais.

Foi convidado de honra na Biblioteca Nacional do Canadá, na Escola de Educação de Harvard, e o primeiro colega a integrar o Gabinete da Política de Tecnologia da Informação da ALA. Em 2012, o seu livro The Atlas of New Librarianship, venceu o prémio ABC-CLIO/Greenwood na categoria Melhor Livro em literatura de bibliotecas.

 

ISABEL GARCIA-MONGE CARRETERO

É chefe da Área do Catálogo Colectivo do Património Bibliográfico, da Subdirecção Geral de Coordenação de Bibliotecas – Direção Geral de Belas Artes e Bens Culturais e de Arquivos e Bibliotecas – Ministério da Educação, Cultura e Desporto.

É membro do Conselho de Cooperação de Bibliotecas (CCB), órgão dependente do Ministério da Cultura e que tem como missão a cooperação entre bibliotecas da administração pública. Aqui, Isabel Garcia-Monge Carretero é coordenadora do grupo de trabalho de Catálogo Coletivo do Património Bibliográfico e, juntamente com Domingo Arroyo Fernandéz, coordena o grupo estratégico de Plano Nacional de Digitalização.

Defendeu tese de doutoramento na área da Filologia, na Universidade Complutense de Madrid, subordinada ao tema: “Estudo e Edición crítica del «Tratado del dormir» de Lope de Barrientos” (2001).

ANDREA HÄNGER

Nasceu em 1970, em Hamburgo. Estudou História, Ciência Política e Estudos Alemães nas Universidades de Freiburg, Göttingen e Grenoble. Em 1996-1998 foi assistente de projeto na Haus der Geschichte, Bona. Entre 1997-1999 foi Investigadora Associada no Departamento de História Moderna e Contemporânea da Universidade de Freiburgo. Doutorou-se em 2000 com uma dissertação sobre o compromisso político das mulheres conservadoras de 1918-1937, tendo nesse ano estagiado nos Arquivos Federais e na Archivschule Marburg. Em 2002-2004 foi assistente de projeto, consultora e chefe de unidade em várias unidades da República Federal da Alemanha e no Departamento de Políticas no Arquivo Federal. Desde 2015 desempenha funções de vice-presidente do Arquivo Federal (Bundesarchiv, Koblenz).

FRANK HUYSMANS

Frank Huysmans (1970) estudou Sociologia e Ciência da Comunicação em Nijmegen (1987-1992), tendo trabalhado como conferencista júnior (1992-1994),  formador (1994-1998) e como professor universitário (1999-2000) no departamento de Ciências da Comunicação da Universidade de Nijmegen.

Em 2001 obteve o seu doutoramento com uma dissertação sobre o uso dos média e partilha de tempo nas famílias. De 2001 a abril de 2010, trabalhou como pesquisador no Departamento de Planeamento Social e Cultural de Haia, nas àreas relacionadas com as atividades de média, cultura e lazer. Desde abril de 2010, trabalha no Instituto da Biblioteca Pública em Haia como gestor de programas de pesquisa e partilha do conhecimento.

Desde 2005, Frank tem sido professor convidado em Biblioteconomia, lecionando em áreas relacionadas com bibliotecas públicas , na Universidade de Amsterdão.

Frank é membro do conselho de editores da Performance Measurement & Metrics e da Communications, do European Journal of Communication Research e membro do conselho editorial da Bibliotheekblad.

JORDI SERRA SERRA

Jordi Serra Serra é professor e investigador da Faculdade de Biblioteconomia e Documentação da Universidade de Barcelona (UB). Tem mais de vinte anos de experiência como responsável de gestão documental, processos e administração eletrónica em diferentes organismos da Administração Pública, e como assessor em projetos de gestão documental eletrónica e preservação digital no âmbito público e privado. É atualmente Diretor de Sistemas de Informação do Consórcio de Educação de Barcelona. Foi docente em cursos de mestrado e de pós-graduação e publicou numerosos artigos e monografias sobre gestão documental e preservação digital. Foi membro do DLM-Forum on Electronic Records da União Europeia, do InterPARES3 Team, do Comité Técnico AEN/CTN 50 de AENOR e do Digital Records Expert Group (DREG) do Conselho Internacional de Arquivos.