Liderar, inovar e dinamizar

Trinta bibliotecários líderes ibero-americanos foram escolhidos para participar no programa INELI (Internacional Network of Emerging Library Innovator). Durante quatro dias aprenderam e dinamizaram as mais diversas atividades, as quais poderão dinamizar na sua biblioteca; aprenderam também que a biblioteca deverá estar atenta a tudo o que se passa na sociedade e às mudanças do público para que  consiga dar resposta às suas necessidades.

Na tarde de 8 de Junho, Natalia Arroyo (técnica especializada nas redes sociais e serviços móveis das bibliotecas da Fundação Germán Sánchez Ruiperéz) sensibilizou para a importância das redes sociais para divulgar, dinamizar e partilhar as atividades e serviços das bibliotecas. A biblioteca tem de ser dinâmica e formar os seus utilizadores para que possam utilizar e saber encontrar tudo o que pretendem na Internet.
Os utilizadores pretendem consultar on-line todos os livros, serviços e atividades. Pretendem ler em qualquer lugar e a qualquer hora do dia. Neste contexto , Natalia Arroyo disponibilizou e explicou quais as ferramentas que a biblioteca pode utilizar para promover a leitura e os seus serviços. As redes sociais (Facebook, Twitter, Google+, Likeden) são as mais utilizadas para a promoção.
Terá de ser elaborada uma estratégia digital onde se deve definir objetivos, perceber as características dos diferentes utilizadores para que possamos chegar a todo o mundo e a todos os utilizadores.

Na tarde de 9 de Junho, Sara Inglesias e Teresa Corchete (dinamizadoras dos programas de leitura para famílias e infância da Fundação Germán Sánchez Ruiperéz) levaram-nos a “Altos Vuelos” explicando como se deve trabalhar como mediador de leitura com crianças e as suas famílias.
O bibliotecário tem de perceber como pode chegar à criança, analisando o seu interesse e motivação e também o da sua família.

O bibliotecário como mediador deverá ter as seguintes características:
•    Pessoa motivada;
•    Observador;
•    Aberta à mudança;
•    Com capacidade de se relacionar e comunicar;
•    Deverá conhecer a criança.

Sara Inglesias e Teresa Corchete sensibilizaram para a importância do bibliotecário/mediador ter de informar, orientar, participar e consciencializar, oferecendo à família  à criança uma oferta especializada de serviços.
Referiram também que a Fundação Germán Sánchez Ruiperéz oferece um variado conjunto de serviços, tais como: tertúlias virtuais; ateliês on-line;  mochilas de leitura onde se pretende criar um compromisso entre as crianças e as suas famílias.
Após esta tarde concluímos que as bibliotecas são lugares de conhecimento e inovação, espaços de integração social capazes de incutir o gosto e o prazer da leitura às crianças e suas famílias.

Cláudia Cravo Jorge
Biblioteca Municipal de Castelo Branco

Sobre o Autor