Atividade para 2016 do Grupo de trabalho das Bibliotecas de Ensino Superior apresentada na Assembleia Geral da BAD

O plano de atividades 2016 do Grupo de Trabalho da BAD das Bibliotecas de Ensino Superior foi apresentado na Assembleia Geral da associação dia 12 de março e preconiza um conjunto de iniciativas que carecem do empenho dos seu membros, mas fundamentalmente convidam à adesão da comunidade de profissionais que compõem as BES. Por isso:

  1. Convidamos a participarem no 3º Encontro das BES – www.bad.pt/3encontrobes
  2. Leiam e discutam as Recomendações para as Bibliotecas de Ensino Superior – www.bad.pt/noticia/wp-content/uploads/2015/12/Recomendacoes_GT-BES_2016_final.pdf
  3. Participem e divulguem o programa de mobilidade “A Minha Biblioteca é a Tua Biblioteca” – www.apbad.pt/Seccoes/gtbes_programamobilidade.htm
  4. Consultem, registem-se ou simplesmente divulguem o Diretório das BES – www.bad.pt/diretorio
  5. Estejam atentos à iniciativas de formação que o grupo irá sugerir (seminários e webinars)
  6. Analisem e comentem o Estudo Prospetivo DOI que o grupo elaborou para a FCT-FCCN – http://projeto.rcaap.pt/index.php/lang-pt/consultar-recursos-de-apoio/remository?func=fileinfo&id=383

planogtbes
Plano de atividades do GT-BES da BAD para 2016:

O ano de 2016 será de grande relevância para a dinâmica do GT-BES em função da realização do 3º Encontro das Bibliotecas de Ensino Superior previsto para os dias 2 e 3 de junho no Porto. O grupo configura este encontro como um momento de arranque de um novo ciclo de iniciativas. O encontro realizado em 2013 foi o móbil para grande parte da ação do grupo nos últimos dois anos, pelo que, em função da linha de ação preconizada para o próximo encontro, com enfoque em trabalho de dimensão prática e discussão prospetiva, quer-se que daí possam sair as principais orientações para a atividade do grupo nos próximos dois anos.

No entanto, outros projetos estão em curso que carecem de robustez organizativa e maior amadurecimento, procurando a necessária valorização das iniciativas que tem no âmbito da cooperação, transferência de saberes e desenvolvimento da comunidade profissional, especificamente em expandir o seu programa de mobilidade, valorizar o diretório e procurar contribuir de forma ativa e critica para o desenvolvimento da comunidade, através de recomendações às BES de Portugal.

Recomendações para as Bibliotecas de Ensino Superior

As Recomendações para as Bibliotecas de Ensino Superior de Portugal serão divulgadas ao longo do ano de várias formas junto dos profissionais mas também pelos responsáveis das instituições de ensino Superior. As diferentes iniciativas na área de formação irão procurar corresponder às linhas de orientações estabelecidas nas recomendações. Igualmente no 3º Encontro das BES as recomendações serão trabalhadas em workshops e grupos de discussão.

As 10 recomendações destinam-se a todos os profissionais de informação das bibliotecas de ensino superior nacionais, bem como às estruturas de tutela das instituições de ensino superior, tendo sido apresentadas pelo GT-BES com a intenção de: 1º) explorar as áreas de intervenção que exigem atualmente às bibliotecas a definição de uma estratégia de ação efetiva e imediata, 2º) potenciar a cooperação entre profissionais de bibliotecas de ensino superior, e 3º) promover a atualização de competências e de métodos de trabalho dos profissionais de informação. As áreas abrangidas por estas 10 recomendações são: o apoio ao ensino e aprendizagem, especificamente na promoção das competências de literacia de informação; o suporte às atividades de investigação e de publicação científica; a gestão organizacional de parcerias e de projetos de cooperação entre bibliotecas; a conceção e disponibilização de serviços, sistemas e espaços que facilitem e potenciem a aprendizagem e a descoberta e gestão da informação.

Programa de mobilidade “A Minha Biblioteca é a Tua Biblioteca”

O programa de mobilidade é uma projeto que está em fase de consolidação. Com o arranque do programa no ano de 2014, o desafio do GT-BES para 2015 e agora também para 2016 foi e é a consolidação do projeto, assegurando o seu desenvolvimento com gradual aumento da oferta de programas, instituições envolvidas e profissionais a participar, procurando neste crescimento assegurar maior cobertura geográfica.

mobilidade_gtbes

A realização do 3º Encontro das BES requer que o aumento não seja tão significativo, mas estão disponibilizados para 2016 um total de 19 programas em 16 instituições diferentes, que serão realizados entre os meses de Março e Novembro.

O GT-BES, para além de continuar a avaliar e monitorizar o desenvolvimento do programa, apostará novamente na sensibilização dos responsáveis institucionais para os méritos do programa no âmbito da formação profissional, com o envio de um ofício a várias dezenas de responsáveis institucionais (Reitores, Vice-reitores de Universidades, Presidentes e Vice-Presidentes de Institutos Superiores, e outros responsáveis de bibliotecas) e a apresentação do programa em audiências com a Secretaria de Estado do Ensino Superior, Presidentes do CRUP e CSISP.

O GT-BES agradece a participação das bibliotecas que aderiram a este projeto com a oferta de ações para 2016, desejando que este programa seja mais uma oportunidade para potenciar e valorizar projetos e boas práticas que contribuam para a definição de novas linhas de trabalho e inspirem profissionais a fazerem mais e melhor, à semelhança do que aconteceu com os programa realizados em 2014 e 2015. “A Minha Biblioteca é a Tua Biblioteca” tem como objetivo promover a colaboração e o conhecimento das Bibliotecas do Ensino Superior (BES) portuguesas, entre os profissionais da área, através da realização de visitas de trabalho de curta duração, tendo em vista a troca de experiências e o contacto in loco e hands on com boas práticas, dos quais poderão igualmente resultar parcerias e projetos em rede.

Diretório das Bibliotecas de Ensino Superior

Para continuar a desenvolver o diretório das BES, o grupo propõe-se gerar mais iniciativas de divulgação, de onde se destaca a campanha para a integração nos websites das bibliotecas de um badge “Estamos no diretório BAD” e a comunicação por email dirigida às instituições que ainda não constam do diretório. O diretório será sempre apresentado nas diferentes iniciativas do grupo procurando aumentar o número de entradas que no final do ano de 2015 apresentava 132 registos.

O Diretório tem como objetivo reunir num mesmo ponto de acesso online a informação relativa a todas as Bibliotecas e Centros de Documentação do Ensino Superior português, funcionando como uma ferramenta para facilitação de contactos e informação, servindo de referência para profissionais, alunos e investigadores. Os contactos incluídos no diretório têm sido a base da disseminação das atividades do grupo e das iniciativas mais relevantes da associação para a áreas das Bibliotecas de Ensino Superior. Será ponderada no 3º Encontro das BES a possibilidade de conceber uma lista de distribuição para as BES.

Seminários, workshops e webinars

O Grupo compromete-se a propor seminários e webinars para realizar ao longo do ano de 2016. Irá identificar oportunidade de formação no domínio da literacia de informação e suporte às atividades de investigação e de publicação científica procurando realizar duas a três iniciativas em cada um destes tipos de ações.

Estudo prospetivo DOI

Com a entrega e divulgação do estudo prospetivo encomendado pela FCT-FCCN sobre implementação do DOI em Portugal no âmbito das atividades do projeto RCAAP, o GT-BES manifesta-se disponível para acompanhar a sua disseminação e discussão durante o ano de 2016, bem como eventuais medidas de suporte a implementações subsequentes. Este estudo propôs a definição dos meios para facilitar a generalização da atribuição de identificadores únicos e persistentes DOI (Digital Object Identifier) no contexto nacional, destinado sobretudo às teses, dissertações e outra literatura cinzenta, bem como a outras publicações científicas, académicas e resultados de investigação, preconizando uma solução de registo central de identificadores DOI baseado na imediata adesão ao organismo internacional DataCite. O registo generalizado de identificadores DOI confere maior robustez, interoperabilidade e escalabilidade aos serviços em desenvolvimento na infraestrutura do Repositório Científico de Acesso Aberto de Portugal (RCAAP) e consequentemente a outras instituições académicas e de investigação produtoras de publicações e dados científicos.

3º Encontro das Bibliotecas de Ensino Superior

Grupo de Trabalho das Bibliotecas de Ensino Superior irá organizar em 2016 o 3º Encontro das BES. O evento será realizado no Porto, acolhido pela Universidade do Porto nos dias 2 e 3 de junho de 2016, e terá como mote temático o lema “Conhecer, Colaborar e Evoluir”.

3bes_banner_site

Grupo de Trabalho das BES propõe-se a partir deste lema, gerar um espaço de encontro entre profissionais que promova o conhecimento e a exploração dos desafios e das tendências para as bibliotecas e que valorize as boas práticas e os projetos relevantes em curso nas instituições portuguesas, potenciando sinergias e oportunidades de colaboração e procurando gerar dinâmicas de afirmação e evolução na comunidade.

Os temas centrais a trabalhar nos diferentes espaços criados no programa do encontro (workshops, grupos de discussão e mesas-redondas) irão focar-se nas dez recomendações para as Bibliotecas de Ensino Superior que o GT-BES estabeleceu para 2016. Será um encontro com uma forte dimensão prática e de debate em que o foco é a construção de saber, a aquisição de competências e a criação de oportunidades de colaboração para fazer sempre mais e melhor. À semelhança do 2º Encontro realizado em 2013 na Universidade de Aveiro, a EBSCO Information Services será parceira na organização deste evento que conta igualmente com o apoio da Universidade do Porto.

O grupo é constituído atualmente pelos seguintes elementos:

Pedro Príncipe, Serviços de Documentação da Universidade do Minho (coordenação); Alfredo Ramalho, Universidade Católica; Alice de Jesus Rodrigues, Instituto de Ciências Biomédicas Abel Salazar-Universidade do Porto; Ana Alves Pereira, Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade Nova de Lisboa; Ana Gonçalves, Reitoria da Universidade do Porto; André Vieira, Instituto Português de Administração de Marketing; Carlos Lopes, Instituto Universitário de Ciências Psicológicas, Sociais e da Vida; Cátia Alexandra Marques de Carvalho, Faculdade de Ciências Sociais e Humanas – UNL; Diana Silva, Escola Superior de Tecnologia da Saúde do Porto do Instituto Politécnico do Porto; Helena Saramago, Reitoria da Universidade de Lisboa, Licinia da Silva Freire, Faculdade de Belas Artes da Universidade de Lisboa; Luiza Margarida Baptista, Faculdade de Medicina Dentária da Universidade de Lisboa; Madalena Carvalho, Universidade Aberta; Maria Antónia Correia, Information Management School da Universidade Nova de Lisboa; Maria Iolanda Silva, Universidade da Madeira, Maria João Mocho, Universidade dos Açores; Maria da Luz Antunes, Escola Superior de Tecnologia da Saúde de Lisboa do Instituto Politécnico de Lisboa; Maria Eduarda Rodrigues, Instituto Politécnico de Castelo Branco; Maria Elvira Pita da Costa, Instituto de Ciências Sociais da Universidade de Lisboa; Maria João Amante, ISCTE-IUL Instituto Universitário de Lisboa; Maria João Pinto, Universidade Católica Portuguesa; Maria Margarida Carvalho, Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro; Maria Teresa Costa, Fundação para a Computação Científica Nacional; Nuno Guerreiro Martins, Faculdade de Arquitetura da Universidade do Porto; Paula Couto Saraiva, Egas Moniz – Cooperativa de Ensino Superior; Paula Sousa Saraiva, Instituo Camões; Sílvia Cardoso, Escola Superior de Enfermagem de Santa Maria; Sónia Amorim Teixeira, Reitoria da Universidade do Porto; Sónia de Sousa Pais, Departamento de Matemática, FCT – Universidade de Coimbra; Susana Lopes Ferreira, ISCTE-IUL Instituto Universitário de Lisboa; Tatiana Sanches, Instituto de Educação da Universidade de Lisboa.

Sobre o Autor

Pedro Príncipe: Especialista de Informação. Bibliotecário. Atualmente no Serviços de Documentação da Universidade do Minho - gabinete de projetos Open Access. Formador na área TIC. Coordenador do Grupo de Trabalho das Bibliotecas de Ensino Superior da BAD.

Comentários encerrados.