Oeste CIM e DGLAB assinam protocolo de cooperação

No passado dia 22 de junho foi assinado, na sede da OesteCIM, o Protocolo de Cooperação para a constituição da Rede Intermunicipal das Bibliotecas do Oeste. O protocolo, celebrado entre a OesteCIM, os Municípios do Oeste e a Direção-Geral do Livro, dos Arquivos e das Bibliotecas, tem origem na recente criação do Grupo de Trabalho Intermunicipal das Bibliotecas Municipais da Região Oeste.

A constituição deste grupo de trabalho tem como principal objetivo melhorar o serviço prestado aos munícipes e a todos os cidadãos, potenciando o seu desenvolvimento pessoal e comunitário através da qualificação dos serviços das bibliotecas públicas, e de ações de disponibilização e atualização dos diferentes recursos e serviços. Consolidar públicos existentes e atrair novos utilizadores, com interesses e necessidades diferenciadas, são igualmente objetivos deste Grupo de Trabalho recentemente constituído.

Antes da assinatura do protocolo, o Diretor Geral da Direção-Geral do Livro, dos Arquivos e das Bibliotecas, Dr. Silvestre Lacerda,  e o Presidente da OesteCIM, Dr. Pedro Folgado, referiram a importância da criação da Rede de Bibliotecas, não só para a dinâmica intermunicipal mas também para a valorização do livro, do saber e das bibliotecas enquanto espaços públicos.

Célia Heitor

Sobre o Autor

editorial@bad.pt

Comentários (1)

Trackback URL | RSS Feed dos Comentários

  1. Jorge Gustavo Lopes diz:

    Curioso! Na foto está um “bibliotecário” nomeado politicamente para dirigir um equipamento público que têm a sua equipa técnica (entrada em funções em 2008 ao abrigo do Contrato-Programa celebrado entre a DGLAB e município da Nazaré) num litígio em tribunal pela ilegalidade de um segundo despedimento colectivo! Num país decente e europeu esta vergonhosa situação de sentenças de tribunal não respeitadas, perseguição de técnicos qualificados por questões políticas e complacência dos reguladores, associações profissionais e demais “colegas” de ofício já teria tido consequências! Mas, como no caso dos incêndios e demais escândalos nacionais, a culpa morrerá solteira, alguns idealistas lutadores serão valorizados “a posteriori” e “projectos-fantasmas” serão depressa enterrados por entre fotografias em redes sociais!

Deixe um Comentário




Pretende associar uma imagem ao seu comentário, crie uma em Gravatar.