Grupo de Trabalho BAD das Bibliotecas de Ensino Superior reforça a sua ação em 2018 – conheça o plano de atividades

O Grupo de Trabalho das Bibliotecas de Ensino Superior (GT-BES) apresentou hoje (10 de março) o seu plano de atividades para 2018 durante a Assembleia Geral da BAD (Associação Portuguesa de Bibliotecários, Arquivista e Documentalistas). O GT-BES, como um dos grupos em atividade na BAD, continuará em 2018 empenhado em potenciar formas de cooperação entre profissionais e instituições de Ensino Superior e em acompanhar de forma atenta e ativa os projetos relevantes no campo da ciência e ensino, procurando melhorar a relevância social das Bibliotecas de Ensino Superior em Portugal.

Para realizar os seus principais objetivos o grupo irá dinamizar as seguintes iniciativas:

Programa de mobilidade “A Minha Biblioteca é a Tua Biblioteca

Para 2018 o programa terá uma estrutura e oferta semelhante ao ano de 2017, estando previstos 21 programas distintos em instituições de ensino superior que oferecem um total de 120 vagas para profissionais das BES. A experiência de quatro anos de funcionamento do programa tem possibilitado melhorar continuamente o projeto e os seus procedimentos e para este ano foram incluídas ligeiras alterações nos processos de comunicação entre a BAD e as instituições de acolhimento. O programa mantém o objetivo central de realização de visitas de curta duração em Bibliotecas do Ensino Superior para troca experiências e incentivo à colaboração entre os profissionais. O GT-BES agradece mais uma vez a participação ativa das bibliotecas neste programa com a oferta de ações para 2018.

Indicadores Estatísticos para as Bibliotecas de Ensino Superior de Portugal

No seguimento do 1º Workshop das Bibliotecas do Ensino Superior, onde foi discutida uma proposta de Indicadores Estatísticos para as BES de Portugal, o GT-BES propõe-se em 2018 desenvolver um projeto-piloto em algumas bibliotecas para aplicação dos indicadores. O projeto-piloto irá desenvolver-se de março de 2018 a março de 2019 e para além da fase de teste, inclui a revisão e a seleção final dos indicadores para aplicação futura ao universo das bibliotecas das IES. O projeto terá os seguintes objetivos: 1) preparar a ferramenta para recolha dos dados; 2) recolher dados de 2017 para teste dos indicadores propostos; 3) avaliar e afinar o processo de recolha de dados; 4) validar e apresentar uma proposta final de indicadores; 5) propor e incentivar a implementação generalizada dos indicadores a partir de 2018/2019; 6) documentar o processo e os indicadores estabelecidos.

Diretório das Bibliotecas de Ensino Superior

O GT-BES alcançou em 2017 uma importante etapa no processo de desenvolvimento do diretório, que se iniciou em 2014. Atingido agora um número superior a 170 bibliotecas registadas, considera-se que o diretório, não incluindo ainda formalmente todas as BES em funcionamento em Portugal, inclui já um número muito significativo, pelo que se pode estabelecer como um serviço em produção com rotinas de atualização periódicas e a formalização de um conselho editorial responsável pela sua gestão. Não obstante o objetivo atingido, o GT-BES propõe-se continuar a identificar as bibliotecas ainda em falta. O diretório assume em 2018 a sua integral função de ponto central de registo de todas as BES, abrindo novas perspetivas de ação e caminho para efetivar projetos de colaboração.

Recomendações para as Bibliotecas de Ensino Superior

2018 marca o fim do triénio a que se destinavam as 10 recomendações publicadas no final de 2015 e destinadas a todos os profissionais de informação das BES de Portugal. Para este ano, a par de mais algumas iniciativas de divulgação das recomendações, o GT-BES propõe-se fazer um estudo diagnóstico do impacto das recomendações nas BES portuguesas, que irá apresentar no Congresso da BAD.

Seminários e webinars

Para 2018 o grupo propõe-se organizar um ciclo de webinars e outro de seminários, propondo a realização de cinco webinars ao longo do ano e de três seminários. O objetivo fundamental é reforçar o aprofundamento das recomendações, explorar desenvolvimentos técnicos nas BES e apostar em novas competências dos seus profissionais.

Rede de Bibliotecas de Ensino Superior

O GT-BES manifesta total apoio à criação da Rede das BES de Portugal, que ambiciona que se constitua formalmente em 2018. O GT-BES pretende manter a participação no processo de constituição no qual tem vindo a fazer parte por solicitação da Secretaria de Estado da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior (SECTES) e manifesta-se disponível para colaborar com Conselho de Reitores das Universidades Portuguesas, o Conselho Coordenador dos Institutos Superiores Politécnicos e a Associação Portuguesa de Ensino Superior Privado na atividade futura da rede.

Plano Nacional de Leitura

O GT-BES procurará continuar a participar e apoiar o plano estratégico de ação do Sistema de Ensino Superior, da Ciência e Tecnologia para contribuir para o novo Plano Nacional de Leitura – PNL2027. A par de outras iniciativas que irão promover a articulação entre BES e outras Bibliotecas Públicas e Escolares, o GT-BES irá colaborar com a SECTES no desenvolvimento de um guia de boas-práticas para as questões de propriedade intelectual, que se constituirá num kit de recursos focado no uso ético da informação e na prevenção do plágio.

Estudo prospetivo sobre a criação do Catálogo Coletivo das BES

O GT-BES irá concluir nos primeiros meses de 2018 a elaboração do Estudo Prospetivo em desenvolvimento com FCT-FCCN que documenta e analisa as opções e condições para a constituição de um catálogo coletivo das BES portuguesas.

Por último, o GT-BES irá apostar numa presença forte no 13º Congresso da BAD, procurando contribuir para um evento significativo e mostrando-se disponível para colaborar na sua organização. Procurará ainda disseminar ativamente informação das atividades do grupo nos canais de comunicação da BAD.


O grupo é constituído atualmente pelos seguintes elementos:

Pedro Príncipe, Serviços de Documentação da Universidade do Minho (coordenação); Ana Alves Pereira, Gabinete da SECTES (Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade Nova de Lisboa); Ana Gonçalves, Reitoria da Universidade do Porto; Ana Paula Alexandre, Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa; André Vieira, Serviços de Documentação da Universidade do Minho; Bella Nolasco, Universidade de Aveiro; Carlos Lopes, Instituto Universitário de Ciências Psicológicas, Sociais e da Vida; Cátia Alexandra Marques de Carvalho, Faculdade de Ciências Sociais e Humanas – UNL; Célia Cruz, Faculdade de Ciências da Universidade do Porto; Dália Maria Godinho Guerreiro, ISEG – Instituto Superior de Economia e Gestão; Daniela Filipa Lopes Oliveira, Escola Superior de Saúde do Politécnico do Porto; Diana Silva, Universidade de Aveiro; Isabel Andrade, Escola Nacional de Saúde Pública – UNL; Isabel Rebolho, Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa; Luiza Margarida Baptista, Faculdade de Medicina Dentária da Universidade de Lisboa; Madalena Carvalho, Universidade Aberta; Manuel Moreno, Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa; Margarida Vargues, Universidade do Algarve; Maria Antónia Correia, Serviços de Documentação da Universidade do Minho; Maria da Luz Antunes, Escola Superior de Tecnologia da Saúde de Lisboa do Instituto Politécnico de Lisboa; Maria Elvira Pita da Costa, Instituto de Ciências Sociais da Universidade de Lisboa; Maria João Amante, ISCTE-IUL Instituto Universitário de Lisboa; Maria João Pinto, Universidade Católica Portuguesa; Maria José Gonçalo Gouveia Aurindo, Escola Superior de Hotelaria e Turismo do Estoril; Maria Margarida Carvalho, Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro; Maria Teresa Costa, Fundação para a Computação Científica Nacional; Nuno Guerreiro Martins, Faculdade de Arquitetura da Universidade do Porto; Paula Couto Saraiva, Egas Moniz – Cooperativa de Ensino Superior; Paula Sousa Saraiva, Instituto de Higiene e Medicina Tropical da Universidade Nova de Lisboa; Sílvia Cardoso, Escola Superior de Enfermagem de Santa Maria; Pedro Estácio, Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa; Sónia Amorim Teixeira, Reitoria da Universidade do Porto; Susana Lopes Ferreira, Faculdade de Economia – UNL; Tatiana Sanches, Instituto de Educação da Universidade de Lisboa; Teresa da Silva Martins, Biblioteca das Ciências da Saúde da Universidade de Coimbra; Thiago Cunha, Faculdade de Ciências Sociais e Humanas – UNL.

 

Reunião do GT-BES, 26 de janeiro de 2018 - Sede da BAD, Lisboa.

Sobre o Autor

Pedro Príncipe: Especialista de Informação e Gestor de projetos Open Science. Bibliotecário. Atualmente Chefe de Divisão nos Serviços de Documentação da Universidade do Minho. Formador na área TIC. Coordenador do Grupo de Trabalho das Bibliotecas de Ensino Superior da BAD.