A pandemia não “abala*” mas o DIA INTERNACIONAL DAS BIBLIOTECAS voltou outra vez este ano

Caros colegas, o suposto – Dia Mundial ou Internacional das Bibliotecas – que surge na web e nas redes sociais como sendo comemorado no dia 1 de julho, não existe oficialmente a nível internacional. Não existe nenhuma entidade internacional que tenha instituído este dia comemorativo das Bibliotecas. E mesmo a UNESCO, que seria uma entidade natural para o fazer, por ser a autora do “Manifesto da UNESCO sobre as Bibliotecas Públicas”, apenas instituiu (desde 1996) o dia 23 de Abril – dia Mundial do Livro e dos direitos de Autor. O que acontece é que a referência a este suposto dia comemorativo começou a circular na Internet há cerca de 5 anos, e constitui assim um caso típico de uma “verdade” que foi legitimada pelo tempo que circula na web e pelas vezes em que já foi mencionada e divulgada.

Durante este tempo muitos profissionais das bibliotecas têm vindo a referir e mesmo comemorar este dia de alguma forma pois infelizmente, também entre nós, por vezes acontece não haver uma validação da informação divulgada. E acresce a este facto que a partir de um determinado momento no tempo, e já lá vão pelo menos cinco anos, como se encontra alguém “fidedigno” que referiu um facto, deixa-se de questionar.

Se quiserem contrastar esta informação que aqui partilho convosco, basta consultar os sites de duas das entidades nacionais que teriam muito interesse em comemorar e divulgar a existência deste dia, a Direção Geral do Livro, dos Arquivos e das bibliotecas – http://dglab.gov.pt – e a BAD – http://apbad.pt – e poderão verificar que não existe uma única referência a este suposto dia comemorativo.

Envio-vos também duas compilação, da EBLIDA e da NAPLE, relativas aos Dias ou Semanas das Bibliotecas que são celebrados em alguns poucos países e de forma irregular (em nenhuma consta o dia 1 de julho): https://www.naplesisterlibraries.org/what-we-do/international-library-days/; http://www.eblida.org/activities/kic/library-days-in-europe.html.

Dão-se alvíssaras a quem souber mais alguma coisa sobre como tudo isto começou.

Vivam as Bibliotecas e votos de bom trabalho para todos.

*o termo “abalar” é tipicamente alentejano e significa – ir embora

Autora: Paula Santos (Biblioteca Municipal de Beja José Saramago)

 

Sobre o Autor