Então, se nós já sabemos onde queremos ir, de que estamos à espera?! – Sílvia Cardoso

Que mensagem gostaria de deixar aos novos profissionais relativamente ao associativismo?

O associativismo é um instrumento importante para o alcance de uma maior expressão quer seja social ou política. É o instrumento que dá voz às nossas reivindicações, que nos ajuda a superar os desafios e dificuldades desta profissão que se encontra em constante mudança. Aqui somos chamados a participar de forma activa e renovada e reafirmamos o nosso valor na sociedade que nem sempre reconhece as nossas competências.

Já há muito que não somos a velhinha de óculos, coque e de dedo indicador sinalizando o silêncio, nem somos o típico rato de arquivo que raramente vê a luz do dia. Um profissional de informação tem atualmente desafios muito maiores numa sociedade que consome informação a todo o momento. É necessário um maior reconhecimento da heterogeneidade e relevância do nosso trabalho para o desenvolvimento da sociedade. E esta luta pelo reconhecimento, não é só minha, nem mesmo só da Associação, mas de todos os que abraçam esta profissão. Compete a cada um a escolha do caminho a seguir, por isso deixo aqui um momento de reflexão: a célebre frase de Carl Sandburg “Não sei onde vou, mas já estou a caminho”. Então, se nós já sabemos onde queremos ir, de que estamos à espera?!

Há quanto tempo é associado da BAD?
Celebro agora uma década enquanto associada. Uma escolha muito clara para mim mal finalizei a minha formação.

Em três adjetivos como tem sido esta “relação”?
Esta é difícil. Vou escolher os três objetivos mais importantes: Desafiante, inspiradora e impulsionadora.

Numa frase como convenceria alguém a associar-se à BAD?
É simples… Porque não? Podemos caminhar sozinhos ou lado a lado com quem dividimos os mesmos objetivos e inspirações, e juntos podemos até nem ir muito longe, mas sozinhos não vamos a lado nenhum.

Como associado, o que a BAD ainda não tem para lhe oferecer?
Por exemplo, um maior apoio e orientação para a publicação de monografias, hoje em dia até com a facilidade de o fazer em formato de eBook, e possivelmente até disponibilizar livremente para os associados as edições publicadas.

Nota Biográfica
Sílvia Cardoso é formada em História pela Faculdade de Letras da Universidade do Porto, pós-graduada em Ciência da Informação variante Bibliotecas e Centros de Documentação pela Universidade Portucalense Infante D. Henrique, e mestre em Educação e Bibliotecas pela mesma instituição. A sua dissertação de mestrado intitulada “Óculos, coque e shhh! Um olhar sobre a auto-imagem e o estereótipo do bibliotecário em Portugal”, valeu-lhe em 2014 o Prémio Raúl Proença, prémio atribuído pela DGLAB e a APBAD. Desde 2010 coordena o Serviço de Documentação, Informação e Biblioteca da Escola Superior de Saúde de Santa Maria, no Porto, e desde 2018 que abraçou um novo desafio na sua vida na área da Comunicação e Marketing, com a coordenação do Gabinete de Comunicação e Relações Públicas da mesma Instituição. Sócia BAD desde 2011 integrou o Conselho Directivo Regional Norte para o triénio 2017-2019.

Sobre o Autor

editorial@bad.pt