Amadora Desaparecida

João Paulo Freire Carreteiro

Resumo


“Amadora desaparecida – Memória do edificado no concelho da Amadora 1940 – 2018” é uma exposição que celebra e questiona a memória arquitetónica da Amadora. Tal só se tornou possível com a execução do Projeto de digitalização dos traçados de água e saneamento da Amadora existentes no “Arquivo Técnico” dos SIMAS de Oeiras e Amadora (SIMASOA). Um Traçado consiste nas peças escritas e desenhadas (plantas e alçados) que testemunham em termos técnicos o edificado, bem como as sucessivas alterações que cada uma das habitações, fábricas, recintos desportivos, armazéns, igrejas e outros espaços de vivência humana existentes na Amadora, sofreram dos anos 40 aos dias de hoje.

Inserido no eixo Recuperação da Informação, a necessidade de recuperar o que existe em termos técnicos no presente do edificado, corre em paralelo com a necessidade de recuperar o que existiu em termos técnicos no passado edificado, sobretudo daquele que já não existe. Ambos carecem, também, de adequada divulgação para que as necessidades dos diversos públicos possam ser satisfeitas, em termos de rigor, pertinência, permanência e alcance da sua disponibilidade no espaço e no tempo.

 

Palavras-chave: Preservação, desmaterialização, recuperação e reutilização da Informação



Texto Completo:

POSTER

Apontadores

  • Não há apontadores.