Revistas científicas brasileiras de acesso aberto: qualidade do ponto de vista dos indexadores

Bárbara Melo

Resumo


Estuda as revistas científicas brasileiras de acesso aberto a partir dos critérios de qualidade não cumpridos por periódicos reprovados na avaliação de indexadores. A pesquisa caracterizou-se como quantitativa em relação aos procedimentos empregados e descritiva quanto aos objetivos, com levantamento de dados por meio de consulta a duas bases de dados: Directory of Open Access Scholarly (ROAD) e Sistema Regional de Información en Línea para Revistas Científicas de América Latina, el Caribe, España y Portugal (Latindex). O universo foi delimitado pelas revistas brasileiras extraídas do ROAD, posteriormente verificadas no Latindex. Como principais resultados, encontramos que existem 1.128 revistas científicas brasileiras de acesso aberto. No que concerne à presença destas em indexadores internacionais, reparou-se que 329 títulos (29,16%) são cobertos por um a cinco serviços de indexação, 7,97% são cobertas pelo Web of Science, 22,69% pelo Scielo e 78,01% pelo Latindex. Especificamente nesse indexador, apenas 59 periódicos não atendem aos critérios mínimos de qualidade, o correspondente a 5,23% do universo de revistas científicas brasileiras de acesso aberto. Sobre a investigação dos critérios não cumpridos, mais da metade não adota geração contínua de conteúdo (81,36%), indicação das datas de submissão e aceitação de artigos (66,10%), e cumprimento da periodicidade (50,85%).


Palavras-chave


revistas científicas; acesso aberto; padrão de qualidade; indexadores.

Texto Completo:

PDF

Apontadores

  • Não há apontadores.


Parceiro institucional:

EBSCO