O Museu na ponta dos dedos: projeto colaborativo IHMT/CITAD/FCT para a conceção de modelos tridimensionais tácteis

Paula Sousa Saraiva, João Couto Duarte, José Luís Dória, Ana Isabel Roxo, José Moura, Filipe Silvestre

Resumo


Nos objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), a Agenda 2030 da ONU preconiza a redução das desigualdades na deficiência (ODS 10.2), a acessibilidade ao conhecimento e inclusão (ODS 16) e a equidade (ODS 17) numa sociedade da informação inteligível a todos os cidadãos.

Também desde a sua criação, em 1902, o Museu do Instituto de Higiene e Medicina Tropical (IHMT) tem por missão envolver os cidadãos na comunicação da ciência e na investigação que realiza a par da sua missão didática, através das suas coleções ligadas à história da medicina tropical e saúde pública internacional, procurando pela interpretação do passado fazer a história presente e projetar a investigação futura para a erradicação das doenças.

Os modelos de doenças tropicais retratando doenças negligenciadas que a Agenda 2030 pretende atualmente erradicar; as maquetas de edificações de saúde; a coleção de nutrição; os insetos vetores; constituem coleções que se pretende tornar acessíveis a públicos com necessidades especiais através do projeto colaborativo entre o IHMT, o Centro de Investigação em Território, Arquitetura e Design (CITAD) das Universidades Lusíada (UL) e o FABLAB da Faculdade de Ciências e Tecnologia (UNL) para a criação de modelos tridimensionais tácteis que possam ser interpretados por cidadãos amblíopes ou cegos.

 


Palavras-chave


Acessibilidade; Necessidades especiais; Modelos tridimensionais tácteis; Inclusão e cidadania; Deficiência visual

Texto Completo:

PDF

Apontadores

  • Não há apontadores.