Bibliotecas: interface cultural para o desenvolvimento sustentável?

Maria Margarida Aleixo Chaves, Olga Cidades

Resumo


O Grupo de Trabalho das Bibliotecas Escolares de Palmela, composto pelos professores bibliotecários e pelo SABE da Biblioteca Municipal, tem vindo desde 2015 a desenvolver o projeto Ler+ adoç@ a vida. Anualmente são selecionados temas relacionados com o património do concelho.

            A ciência da computação define interface como a fronteira que facilita a interação e esclarece a forma de comunicação entre duas entidades. Nesta perspetiva, concebemos as Bibliotecas como uma interface entre o mundo e os utilizadores, entre o que há para descobrir, aprender, ler, sonhar… e os leitores. Reiteramos a ideia: as bibliotecas são o elo de ligação. Desempenham um papel nuclear por possibilitarem um percurso pedagógico e educativo para vários públicos leitores, vários níveis de ensino e diferentes áreas do saber. Potenciam a participação e envolvimento das famílias e da comunidade local nas atividades que dinamizam, promovendo o conhecimento do património num diálogo pacífico, inclusivo e democrático entre realidades culturais.

Em 2018, o Grupo teve a oportunidade de estabelecer parceria com a Agência de Energia e Ambiente da Arrábida no âmbito da Educação para o Desenvolvimento Sustentável. No contexto desta parceria iniciámos um processo de estudo da sustentabilidade em Bibliotecas Escolares.  


Palavras-chave


Palmela, Rede de Bibliotecas, Património, Comunidade, Sustentabilidade

Texto Completo:

PDF

Apontadores

  • Não há apontadores.