Acessibilidade dos recursos digitais produzidos e partilhados pelas Bibliotecas de Ensino Superior

Bruno Guimarães Marçal, Filipe Alexandre Silva Santos

Resumo


As Bibliotecas de Ensino Superior (BES) afirmam-se, entre outras funções, como produtoras e gestoras de recursos que visam ampliar a autonomia dos seus utilizadores nos domínios da literacia da informação e digital.

Mas em que medida os processos de comunicação e os recursos de informação produzidos e partilhados pelas BES, especialmente em suporte digital, cumprem boas práticas ao nível da acessibilidade? Este facto pode ser determinante para assegurar que todos os estudantes, nomeadamente com Necessidades Educativas Especiais, possam fazer uso destes recursos, contribuindo para a criação de contextos inclusivos.

Constata-se que a maioria dos recursos digitais são produzidos pelos próprios colaboradores das bibliotecas, sem que tenham recebido qualquer formação específica ao nível da acessibilidade. Contudo, quase metade das instituições assegura ter em atenção boas práticas neste domínio embora não procedam a qualquer processo de validação para aferir a existência de inconformidades técnicas. A análise de alguns regulamentos e páginas web disponibilizados por BES contactadas no âmbito desta investigação sugere um desfasamento entre a perceção e a prática relativamente ao cumprimento de boas práticas de acessibilidade. Acresce que a grande maioria das bibliotecas afirmam não existir qualquer diretiva por parte da instituição que recomende o cumprimento de boas práticas de acessibilidade.

Palavras-chave


Acessibilidade digital, Bibliotecas de Ensino Superior, Comunicação, Recursos digitais, Inclusão

Texto Completo:

PDF

Apontadores

  • Não há apontadores.