Redes de Informação e Conhecimento: Cooperação e Interoperabilidade

Maria José Catarino Amândio

Resumo


Esta comunicação apresenta um estudo sobre as estratégias de intervenção que visam a criação e expansão de redes integradas de bibliotecas. Pretende-se esboçar os seus objetivos, a composição, a estrutura e as componentes dos planos de ação para a montagem da uma plataforma tecnológica, enquanto comunidade de prática, de suporte às redes de bibliotecas concelhias. Aborda ainda o benefício do trabalho cooperativo num domínio de interesse comum, o das bibliotecas, cultura e conhecimento.

Neste enquadramento, e tendo como meio de interação o Portal, incide-se sobre a tese dos modelos de sistemas de informação direcionados para os sistemas de gestão do conhecimento. Analisam-se formulações teóricas acerca dos processos de cooperação, dos impactos das tecnologias de informação e comunicação (TIC) e tendências da Web 2.0. Num contexto geral, são dadas a conhecer as estruturas das redes como tipo particular de sistema de informação e os critérios de diferenciação sistema vs rede. A partir da interseção destas vertentes, gera-se a aproximação aos Portais, à Biblioteca-Rede e à matriz de serviços no contexto digital.

Problematizam-se os contributos da obra de LEVY (1997), CASTELLS (2002) e ASCHER (2007). Dar destaque às redes integradas de bibliotecas através do conceito de Portal prevê potenciar a interação entre informação e utilizadores e entre gestores e informação. Nesse sentido, realiza-se uma abordagem às práticas para a interoperabilidade e normalização a aplicar no acesso integrado. Enunciam-se modalidades de cooperação, fases a desenvolver, organização de conteúdos, serviços e atividades da rede de bibliotecas concelhia.

Por último, expõem-se as conclusões, recomendações e perspetivas de evolução futuras em função dos modelos propostos.


Palavras-chave


Rede de Bibliotecas, Arquivo e Museus; Redes de Cooperação; Portal

Texto Completo:

PDF

Apontadores

  • Não há apontadores.